segunda-feira, 27 de junho de 2016

Ester e Mardoqueu: em nome do rei
Ester voltou de novo à presença do rei e falou. Prostrada a seus pés, desfeita em lágrimas, lhe suplicava que destruísse as maquinações que Amã, tinha tramado contra os judeus. O rei estendeu o cetro de ouro a Ester, a qual se pôs de pé diante dele [...]. Escrevei, portanto, vós mesmos, em nome do rei, em favor dos judeus, como bem vos parecer e selai, com o selo real, porque toda ordem escrita em nome do rei e firmada com seu selo é irrevogável (Et 8).
O cristão é chamado a ser outro Cristo e sê-lo sempre. Isso significa que o falar, o ouvir, o olhar e o amar de um cristão, em seu agir devem ser conformes os do próprio Cristo!
Muitas pessoas perdem a vida a reclamar e murmurar, esquecendo-se de que, não só podem, mas que devem ser elas mesmas a mudança; assim perdem a graça maravilhosa que se oculta na "miudeza de cada instante"!
Diante de tais realidade o que têm Ester e Mardoqueu a ensinar com sua atitude?
Agir em nome do rei! Assuero concede a Ester e Mardoqueu a possibilidade de agir em seu nome, assim como outrora havia concedido a mesma dignidade a Amã. A diferença está nas atitudes de cada um diante do favor recebido.
A cada cristão o Senhor também concede a grande graça de agir em seu nome: SER OUTRO CRISTO! O que cada um fará com tamanha dignidade? E qual é o agir de Cristo, senão o amor?
Assim deveriam ser reconhecidos os cristãos: pelo amor, este deveria encher a vida e até transbordar em cada batizado!
Cabe a cada um questionar a si mesmo quanto ao que tem feito com a graça de "agir em nome do Rei"!

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Ester: intercede por si e pelo povo
Ester revestiu-se de seus trajes reais e se apresentou diante do rei sentado sobre seu trono[...]. Logo que viu Ester... ele estendeu o cetro de ouro que tinha na mão. E Ester se aproximou para tocá-lo. "Que tens rainha Ester e que queres?" [...] "Se achei graça a teus olhos, ó rei, e se ao rei lhe parecer bem, concede-me a vida, eis o meu pedido; salva meu povo, eis o meus desejo" (Et 5,7).
Ester arrisca-se porque sabe que foi chamada, e intercede, por si e pelo povo, não se fecha em seus privilégios, com uma atitude egoísta, ao contrário, se abre às necessidades do seu povo, o seu coração se alarga em amor!
A que você é chamado???
A grande verdade é que vivemos em meio a uma geração de frouxos, que até se entusiasmam, mas à hora da resposta se acovardam, por medo de arriscar-se. A isto acrescenta-se o egoísmo... Quem, nos dias atuais, é capaz de se arriscar-se pelo dom da vida e dignidade do outro? Poucos!
Assim, Ester deveria se modelo a toda vocação; ela arrisca-se, até diante do perigo de ser morta, para cumprir a vontade de Deus em sua vida.
Um outro problema é o esquecimento de que a vontade de Deus é sempre, SEMPRE o melhor, mesmo que aos olhos humanos pareça loucura, mesmo que, lá no fundo o coração relute!
Seguir o chamado de Deus nem sempre será fácil, mas será sempre um revestir-se de "vestes reais", pois é no cumprimento de sua santa vontade que se assume plenamente o sonho e os planos de Deus!

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Ester: decidida
qualquer um que entrar sem ser chamado na câmara interior do palácio,está condenado à morte, com exceção àquele para o qual o rei estender o cetro de ouro [...]. "Quem sabe se não foi para essas circunstâncias que chegaste à realiza" [...]. "Irei ter com o rei. Se houver de morrer, morrerei". (Et 4)
Diante do edito que decretava o aniquilamento de seu povo, Ester decide, ainda que correndo o risco de morrer, interceder pelo povo, diante do rei. Já se viu, quem era Assuero, um homem inconstante, inclinado a seus próprios caprichos, indiferente à dor ou a dignidade do outro, mesmo que tal pessoa fosse a rainha!
Ester, porém, confia no Senhor e em seus desígnios, estes que  a tiraram da casa de sua família para o arem do rei e daí à realeza.
A confiança e o abandono em Deus fazem-se essenciais no caminho de discernimento da vontade de Deus, por que na verdade é Ele quem conduz tudo, à medida que cada pessoa deixa-se conduzir.
Às vezes se teme a vontade de Deus porque aos olhos humanos parece um perder a vida, porém, não é o querer de Deus o melhor para cada pessoa?!
Quando se trata de vocação, arriscar é uma aventura quase inevitável!
Arrisque-se, pois!