terça-feira, 10 de novembro de 2015

“Seguir-te-ei, de Belém ao Calvário, meu Senhor!”

A NUTRIZ ESPIRITUAL DO MENINO JESUS

Iniciando o mês de novembro já se pode ver a aurora do advento que nos prepara para a grande celebração do Natal do Senhor!
Neste fim de ano temos muitas ocasiões para avivar a nossa fé e vida espiritual, a começar pela Solenidade da Imaculada Conceição de Maria. Já podemos desde já começar a nos preparar, pedindo a ela que nos ensine a ser verdadeiras nutrizes de seu Filho, para que no Natal o acolhamos com todo o amor de nosso coração e que o levemos com todo entusiasmo! 
Confira o vídeo em nossa página:

Em nossa oblação, somos convidadas a percorrer, com Cristo, seus passos de Belém até o Calvário, não só na contemplação dos mistérios por meio da oração, mas na vida; pois oração que não se transforma em vida perde todo o sentido. No percorrer deste caminho vamos realizando nosso ideal de fazer o Santíssimo Menino nascer e crescer nos corações e, pode-se dizer, que uma atitude é inseparável da outra, pois é no fazer Cristo nascer e crescer nos corações que o seguimos de Belém ao Calvário.
Em alguns corações contemplamos o Menino da Gruta, sempre e todo entregue à pobreza, para confundir os grandes, pobre mas não indigno; quantas pessoas desprovidas dos bens materiais, são ícones de nobreza, simplicidade e amor! Por vezes, também nestas pessoas é possível encontrar o Cristo crucificado, sofredor... O Cristo que sofre caminha conosco e tantas vezes o desprezamos... passa por nós a nos ensinar e curar, a nos olhar com amor e a ressuscitar a paz, a alegria e o amor em nossas vidas, desde que nos deixemos tocar, por seu olhar, sua voz, seu sorriso, suas mãos... Ele está em cada coração a pulsar e pulsa em nosso próprio coração.
Mas como fazer com aqueles corações em que o Cristo parece não estar? Tal questionamento é capaz, de atingir a fundo o coração, como um desafio à oblação!
A resposta pode ser apontada olhando para a estrela de Belém, ela brilhava, mas sua luz anunciava um outro, assim pode-se fazer o Cristo nascer nos corações, quando se permite que o próprio Senhor seja a luz a irradiar do coração anunciador, mostrando não a si mesmo, mas um outro: CRISTO!
Portanto, é com a vida e a oração, quando se pode dizer como Paulo: “vivo, mas não eu, é Cristo que vive em mim”, que o fazemos nascer e se mostrar nos corações que Ele está oculto, pois quando buscamos que o Cristo viva em nós, o levamos, e também o encontramos em cada coração, por mais escondido que esteja.
O que significa, pois, seguir a Cristo de Belém ao Calvário, senão viver como Ele? A contemplação se concretiza no dia a dia, assim o vemos a todos instante a amar e iluminar a vida das pessoas, vemos sua obediência a Maria e José, sua predileção pelos excluídos, sua ousadia no anunciar, seu amor pelas crianças... Na contemplação pedimos que Ele venha e fale, olhe, ouça e que, sobretudo, ame em cada uma de nós, para que o possamos olhar, ouvir, e falar-lhe nos irmãos que o possamos  AMAR E NUTRIR, pois onde bate um coração imagem e semelhança de Deus aí vive o Amado de nossa alma, ai vive o coração doado por amor, que se inunda da paz do Senhor.
De Belém ao Calvário desejamos viver com Cristo e somente por Ele morrer, para que o último suspiro nos una pela eternidade!