sábado, 27 de dezembro de 2014

Em Oliveira: Ordenação diaconal

"Fazei tudo o que Ele vos disser!" (Jo 2,5)
Foi o lema escolhido pelo Diac. Jorge Pereira de Sousa Junior para seu ministério diaconal segundo ele mesmo a passagem representa
"A palavra da mãe de Deus aos diáconos em Caná
Cada Palavra é forte...
Fazei: o mandato de Maria... indica movimento... sair do comodismo
“o que”: devemos estar sempre atentos a descobrir "o que" Deus quer de nós
“Ele”: o sentido de tudo. Nossa meta. Está no comando
“vos disser”: É o Shemá de Deus! "ouve, ó Israel!" É o primeiro apelo que Deus faz ao seu povo. Precisamos nos atentar...
O evangelista, para mim, condensa as escrituras nessa frase que põe na boca de Maria"
A celebração foi um grande momento de oração, o néo Diácono pediu que todos se unissem em oração para que ele pudesse estar sempre atento às palavras da Mãe que revelam a vontade do próprio Senhor. Em seus agradecimentos disse que assim que nasceu, ao meio dia enquanto na igreja se tocavam os sinos anunciando a hora do Anjelus sua mãe o consagrou à Santíssima Virgem e hoje novamente ouvindo o apelo de tão bondosa Mãe, se consagra inteiramente ao Senhor.
Queridas, Irmãs, vocacionadas (os) e amigos que nos acompanham, rezemos pelo Diac. Jorge, para que seja fiel ao seu ministério na Santa Igreja do Senhor.











sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Em Oliveira: Comemoração do Natal o Senhor

"Vede que grande maravilha de amor o Pai nos concedeu..."

As Irmãs Oblatas do Menino Jesus, são chamadas a contemplar o Divino Infante na gruta de Belém, imitar suas virtudes, especialmente a humildade e simplicidade, e seguí-lo da Gruta em Belém até o Calvário, para fazê-lo nascer e crescer em cada coração, à exemplo da Santíssima Virgem que tendo Cristo em seu seio não se contentou em somente ser a cheia de graça, mas quis que esta mesma graça transbordasse e enchesse outros corações.
Alegramo-nos grandemente com as festas que nestes dias celebramos, pois este tempo deve ser para cada Oblata ocasião de renovação e fortalecimento no carisma semeado em nossos corações pelo próprio Espírito!








quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 9º dia

O Natal em mim

“Dulcíssimo Jesus, meu Menino amoroso, como poderei jamais agradecer-te pelo privilégio tão grande que me deste escolhendo-me como tua nutriz espiritual?[...] Eu me ofereço, dou, dedico e consagro a ti...” (Nutriz 27)
“Que grande alegria o Pai nos concedeu...” Sim, que grande alegria, podermos amar, adorar e servir a este dileto Menino. Por quenos escolheu? Certamente, não por nossa virtude e perfeição, mas nos escolheu e que grande motivo de alegria nos deve ser esta eleição.
“Quero dizer-vos uma palavra e a palavra é alegria- é o que nos diz o amado Papa Francisco- porque onde estão os cosagrados, há alegria”. Eis o 
convite deste último dia de novena, convite a manifestar esta virtude que explode de todo coração verdadeiramente consagrado ao Senhor, virtude que se mantém mesmo nas tribulações, quando é fruto de algo mais profundo: a felicidade.
“A alegria sobrevive de motivos externos. Felicidade não. É mais profunda [...] é saber-se a pessoa certa no contexto das escolhas feitas [...] porque sabe-se estar onde, verdadeiramente, deveria estar” (Pe. Fábio). Sou a pessoa certa no lugar certo? Então, nada, ninguém, nem situação nenhuma poderá tirar-me o legado de felicidade que este Santo Menino nascendo em mim me traz. Que venha o Natal e que seja em mim!

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 8º dia

Os Magos
“Eis que veio o Senhor dos senhores, em suas mãos estão o reino, o poder e a glória”

Segundo a Tradição os magos eram reis que vieram de longe e trouxeram presentes a Jesus, em quem reconheceram mais que um rei, mas o Senhor: “viemos para adorá-lo”. Muitas vezes já nos colocamos diante do Senhor a meditar estas palavras, desejando que em nosso coração se formasse os mesmos sentimentos, e a mesma atitude de humildade que moveram os magos.
Estes reis despojaram-se de sua nobreza e mesmo encontrando o Menino anunciado em uma casa humilde da pequena Belém “prostrando-se o adoraram”. Contemplamos aqui a atitude da verdadeira e profunda adoração, aquela que não exige provas, mas deixa-se guiar pela inspiração d’Aquele que infunde em cada coração o amor, em verdade “estes são os adoradores que o Pai procura”.
Podemos imaginar os Magos prostrados, tirando suas coroas diante do seu Rei. O que significava para eles tal atitude? Desprendimento, humildade, verdadeira nobreza, que sabe reconhecer o seu limite; mas ao mesmo tempo algo que, provavelmente lhes custava, e por isso deve ter sido nutrido e gerado em seus corações durante muito tempo. Não era uma atitude passageira, um gesto vazio, mas um fruto do amor que  já lhes estava sendo trabalhado no coração. Ao perseguirem a estrela eles enxergavam além, viam a meta, mantinham os olhos fixos na estrela que anunciava Jesus, mantinham os olhos fixos em Jesus, já o amavam, mesmo se o conhecer e, por isso, foram capazes de adorá-lo.
Existem em nós coroas que precisam ser tiradas diante do Senhor, se queremos adorá-lo, elas fazem-nos sentir grandes, melhores, superiores, e por mais que relutemos em aceitar e ver, as temos, porque somos humanas. Olhemos para a estrela que anuncia Jesus, nutramos o amor, que nos fez segui-lo, para que cresça e amadureça em nosso coração.
Vamos corramos, a estrela já brilha, o Senhor nos espera!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 7º dia

A estrela do Oriente

“Vimos sua estrela no Oriente...” foi o anúncio dos Magos que chegaram procurando Jesus, Viram uma estrela, seu brilho chamou-lhes a atenção e por inspiração divina decidiram segui-la. “Como chegaram a saber exatamente do que se tratava? Ignoramo-lo” (FCD I 43), importa-nos a atitude, que hoje pode ajudar-nos a receber Jesus.
À nossa vista as estrelas são pequenos astros e todas juntas não são capazes de chegar perto da luminosidade do Sol, mas uma só estrela foi sinal para aqueles homens.  Por que só eles a perceberam? Porque estavam vigilantes, atentos e, talvez, até à procura dos sinais do Senhor. Sabe-se que o Senhor não gosta muito de barulho, que se manifesta na brisa suave, e aqui no brilho de uma simples estrela, por isso faz-se necessário atenção para perceber os seus sinais. Tal atenção só se conquista na intimidade, podemos, por vezes estar à procura e até querer ver as estrelas que indicam Jesus, mas se não lhe temos intimidade, se não sabemos que Ele se comunica na simplicidade e no silêncio seu mistério passará sem que o percebamos.
Com certeza, brilham todos os dias estrelas em nosso firmamento, a anunciar o Cristo, brilham também nas alegrias da missão, que nos enchem o coração de paz e da certeza de Ele está conosco, de que caminha ao nosso lado; brilham nos encontros cheios de ternura, na felicidade imensa de ver que outros também querem senti-lo perto; mas também brilham em um olhar perdido, numa mão estendida, em um corpo que sofre, nos sorrisos que se fecharam por falta de entusiasmo. “Onde sofre o teu irmão eu estou sofrendo nele...”, Estamos atentas aos sinais, onde Cristo está, onde nascerá?


domingo, 21 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 6º dia

Os pastores: humildes com o Humilde “Isto vos servirá de sinal: achareis o recém nascido envolto em faixas e posto numa manjedoura” (Lc 2,12)

Se Cristo nascesse hoje a quem os Anjos o anunciariam?
É um questionamento simples, mas atinge a essência do nosso ser, pois os Anjos o anunciaram aos pobres e humildes, será que podemos nos considerar neste número? Cada uma no silêncio de seu coração pode procurar a resposta.
“Quero uma Igreja pobre para os pobres”, é um dos mais eloqüentes apelos do Papa Francisco, mas por que uma Igreja pobre para os pobres? Porque a riqueza cega e torna o coração orgulhoso, incapaz de se compadecer, de perceber a necessidade do outro e, consequentemente, de perceber o Cristo , que se fez humilde, que vem envolto em faixas e deitado numa manjedoura, quem acreditaria quem um menino nestas condições poderia ser “causa de alegria pra todo o povo”, senão os humildes?!
Cristo nos vem, já está perto; contemplamo-lo deitado em nossos presépios, mas somos capazes de vê-lo vivo, na carne daqueles que de nós se aproximam? Lutemos por ser pobres e pra os pobres a fim de sermos humildes, capazes de reconhecer o Divino Menino envolto em faixas e deitado nas manjedouras de tantas vidas, a passar frio, para que possamos aquecê-lo; a sofrer por não ter lugar, par que o acolhamos; a passar fome, para lhe darmos de comer; sem voz, para falarmos por Ele... Assim seremos suas verdadeiras nutrizes.


sábado, 20 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 5º dia

Os seus não o quiseram

O relativismo leva as pessoas a agir como se Deus ao existisse, decidir como se os pobres não existissem, sonhar como se os outros não existissem, trabalhar como se aqueles que não receberam o anúncio não existissem” (EG 80).
“Ele veio para os seus e os seus não o quiseram”, Ele nos vem a cada dia e nós o rejeitamos. Sim, Ele está entre nós. Muitas vezes, comovemo-nos ao ver que Jesus foi rejeitado, que nasceu em um estábulo, porque “não havia lugar para eles na hospedaria; mas será que de fato voltamos o nosso olhar pra o hoje da história, onde Cristo nasce e renasce a cada instante, nos “estábulos” da vida?
O individualismo egoísta assola a humanidade e presa os próprios interesses  em detrimento do bem comum, e assim a denúncia do Papa torna-se real, vive-se como se o outro não existisse e onde está Cristo senão no outro?
Preparamo-nos para o Natal e nos colocamos a contemplar a manjedoura vazia que receberá a pequenina imagem do Sato Menino, mas será que isso basta? Onde Cristo realmente nascerá neste Natal? Será acolhido?
Fazer Jesus nascer e crescer nos corações, eis a nossa vocação, fazer com que Ele seja acolhido. Se Jesus nasce em um coração, então ence esta vida de luz, torna a pessoa iluminada e iluminadora; e não deveria haver maior alegria para uma oblata do que ver o Santíssimo Menino resplandecer nos corações!



sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 4º dia

A vocação de São José

Toda a essência e o sentido ultimo da vida de São José foi o cumprimento da missão de protetor de Maria e de pai de Jesus. Como toda pessoa José também teve uma missão, fundamento de sua vida, e a aceitou plenamente sendo fiel até a morte. “Toda a sua floria e toda a sua felicidade consistiram em ter sabido entender o que deus queria dele e me tê-lo realizado fielmente até o fim” (FCD I, 22).
Como esposo e protetor da Santíssima Virgem, São José a amou profundamente: “devia amá-la muito e com grande generosidade quando, sabendo de seu desejo de manter a consagração que havia feito a Deus, aceitou desposá-la, preferindo renunciar a ter descendência a viver separado daquela a quem tanto amava” (Federico zuárez).
Pensemos no Amro que inundava o coração deste silencioso santo; Varão justo que foi escolhido para cuidar e conviver com o Filho de Deus. Sim,  ele deveria amar muito e um amor profundo e puro; generoso e constante.
Sabe-se que nos momentos de grandes dificuldades era a São José que a Madre Anna recorria como intercessor e ele não a desamparava não é por menos, apesar de ser conhecido mo o santo do silêncio, pode-se imaginar quão grande era sua união com Jesus, que fazia do seu silêncio operante contemplação. Podemos hoje perguntar-nos primeiro, como temos vivido a vocação à qual somos chamadas? E nesta vivência como tem sido o nosso silêncio, Fecundo de operante ou repleto de murmurações infecundas?
Ó glorioso São José, rogai junto ao teu filho por nós que nos confiamos à tua intercessão!


quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 3º dia

Maria: Sacrário vivo

Maria foi considerada digna de gerar Cristo, e assim tornar-se seu sacrário vivo, porque deus assim a pensou, certamente, mas não se pode desconsiderar o fato de que sendo livre, ela optou e se esforçou todos os dias de sua vida por amar sempre mais e mais o seu Senhor, assim ao receber a visita do Anjo e o anúncio de sua maternidade, Maria já estava intimamente unida a Deus, Ele já realizava nela grandes obras.
Quando o Senhor nos vem, todos os dias na sagrada comunhão, e faz-nos seus sacrários, como nos encontra? O mesmo Cristo gerado no seio de Maria, é o que nos vem todos os dias.
Maria, porém, não se contentou somente em receber e gerar em si, seu grande amor a impeliu a levá-l’O “felizes as colinas que receberam a impressão de seus passos!” Eis nossa vocação gerar Cristo em nosso coração e no dos outros. 
Neste dia não deixemos de nos questionar insistentemente. Como tenho recebido o Amado Jesus? Estou cultivando a maternidade à qual sou chamada fazendo com que Ele nasça e cresça em cada coração?


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 2º dia

O grande anúncio “Eis que conceberás e darás à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus” (Lc 1,31)

Em segredo é que se comunica o Espírito de Deus, em segredo e na humildade que hoje podemos contemplar a transbordar na alma de Maria o ouvir as palavras do Anjo que lhe tece os maiores elogios, anunciando que se tornaria a Mãe do Filho de Deus. Mas ninguém soube do lábio de Maria o que o Anjo falara.
Voltamos hoje o nosso olhar para a aurora que precede o Sol eterno, e nela resplandece esta sublime virtude, que devemos praticar, primeiro por sermos cristãs e ainda porque é uma das principais virtudes do nosso Carisma. Se ela resplandece em Maria, em Cristo ela ofusca. E, pode-se dizer, que é impossível realizar verdadeira oblação sem humildade “sabemos de não termos sido chamadas a cumprir as grandes obras, mas aquelas mais comuns e de pouco valor, porque toda obra é grande não por si mesma, e sim pela presença do Senhor que lhe confere valor infinito. (Const. 13, §4).
O grande anuncio, fonte de tão gloriosa alegria, por revelar a iminente vinda do Senhor, revela também o valor da alma humilde que atrai os olhares de Deus e este se compraz e recompensa co a graça.
O Senhor está para chegar, o que lhe daremos? Certamente, muito mais Ele nos dará, porém como verdadeiras nutrizes não podemos deixar que Nosso Amado Menino cheque sem que lhe tenhamos preparado com grande amor e alegria o coração. Maria é também aqui sublime modelo, é na oração, na escuta atenta e fiel da Palavra, no silêncio e recolhimento que melhor se prepara para receber Jesus.


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Novena de Natal: 1ºdia

 “Feliz culpa que nos mereceu tão grande salvador”

O Messias anunciado desde sempre

“O próprio Deus vos dará um sinal: uma Virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará ‘Deus conosco’” (Is 7,14)
Na longa espera do AT, os profetas tinham anunciado com séculos de antecedência a chegada do Messias que guiaria e cuidaria amorosamente do Povo Eleito. Já nos aproximamos do Natal do Senhor, festa em que comemoramos a vida d’Aquele que foi anunciado. Nesta novena somos chamadas a cultivar a grande virtude da esperança que tão bem caracteriza este tempo de advento. Juntamente com o povo de Israel esperar o Senhor, par que Ele não nos encontre desprevenidos como a alguns encontrou em sua primeira vinda.
“Pelas entranhas de misericórdia do nosso Deus, visitar-nos-á o Sol que nasce do alto, a fim de iluminar os que estão sentados nas trevas e nas sombras de morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz” (Lc 1, 71-79). O Senhor, anunciado em toda a história de Israel nos vem visitar, como nos encontrará? Para melhor recebê-lo devemos nos preparar:
NO RECOLHIMENTO: À exemplo da Virgem Maria, jamais poderemos sequer imaginar com que recolhimento a Santíssima Virgem se preparou para o nascimento de Jesus, mas podemos pedir que ela nos auxilie e inspire o nosso coração desejos e atitudes de recolhimento.
NO ESPÍRITO DE ORAÇÃO: O Santo Papa João Paulo II já falava da essencialidade da oração na vida dos religiosos, aquela particular e exclusiva, mas também aquela constante que faz da vida entrega e o que marca a vida de uma Oblata senão a entrega constante até o sacrifício?
NA RECEPÇÃO DOS SACRAMENTOS: Assim como alguns do Povo de Israel foram pegos desprevenidos também nós corremos este risco. A Eucaristia é o memória que permite-nos encontrar todos os dias o Amado imolado por nós e a penitência, encontro de amor e perdão, é o sublime meio de nos aproximarmos mais de seu coração.
Que este tempo de esperas fortaleça em cada coração oblata o sublime desejo de ver Jesus aqui e no Céu.

domingo, 7 de dezembro de 2014

Novena da Imaculada

9º dia
Maria Imaculada
“Se a Imaculada é a Mãe da graça, se dela nos vem Jesus Cristo o Salvador, se ela é a dispensadora do dom de Deus, a delegada oficial de sua misericórdia basta abandonar-se incondicionalmente em suas mãos para realizar, quais dóceis instrumentos, grandes maravilhas” (São Maximiliano).
“Transbordo de alegria no Senhor e minha alma exulta no meu Deus, pois Ele revestiu-me de justiça e envolveu-me no manto da salvação, como uma noiva ornada com as suas jóias”.
Tudo que de formoso e belo se pode dizer de uma criatura, cantamo-lo hoje à nossa Mãe do Céu: “Deus Pai ajuntou todas as águas e denominou-as mar; reuniu todas as suas graças e chamou-as Maria. Este grande Deus tem um tesouro, um depósito riquíssimo, onde encerrou tudo que há de belo, brilhante, raro e precioso, até seu próprio Filho; e este tesouro imenso é Maria, que os anjos chamam o tesouro do Senhor, e de cuja plenitude os homens se enriquecem” (São Luís de Montfort).
Maria escolhida desde a eternidade para ser Mãe do Verbo de Deus humanado foi desde a sua conceição preservada de todo o pecado, pelos merecimentos de seu Filho. Deus “amou-a com um amor tão grande, tão acima do amor a toda criatura, que se comprazeu nela com singularíssima benevolência. Por isso, cumulou-a tão maravilhosamente da abundância de todos os seu dons celestiais, tirados dos tesouros da sua divindade, muito acima de todos os anjos e santos, que ela, absolutamente sempre livre de toda a mancha de pecado, e toda formosa e perfeita, manifestou tal plenitude de inocência e santidade que não se concebe de modo algum outra maior depois de Deus nem ninguém a pode imaginar fora de Deus” (Pio IX)
Se o próprio Deus se compraz em Maria quem somos para rejeitá-la! São Luís dizia que “quanto mais o Santo Espírito, em uma alma, encontra Maria, sua querida e inseparável esposa, mais operante e poderoso se torna para produzir Jesus Cristo nessa alma, e essa alma em Jesus Cristo”.  Peçamos neste dia a Maria que nos ensine o melhor modo de imitá-la, para que ela esteja em nós e possamos melhor ser nutrizes, do Menino Jesus, para que o Espírito encontrando em nosso coração sua terna esposa possa formar em nós o Cristo, que somos chamadas a levar!

Oração: Ó Maria, lírio imaculado de pureza, eu me congratulo convosco, porque desde o primeiro instante da Vossa Conceição fostes cheia de graça e, além disso, vos foi conferido o perfeito uso da razão. Dou graças e adoro a Santíssima Trindade que vos concedeu tão sublimes dons; e me confundo totalmente na Vossa presença ao ver-me tão pobre de graças; vós que de graças celestes fostes tão copiosamente enriquecida reparti com a minha alma e fazei- me participante dos tesouros que começastes a possuir em Vossa Imaculada conceição.
Virgem Puríssima, concebida sem pecado e desde aquele primeiro instante toda bela e sem mancha. Gloriosa Maria, cheia de graça, Mãe de Deus, Rainha dos Anjos e dos homens. Saúdo-vos humildemente como Mãe do meu Salvador que, com aquela estima, respeito e submissão com que vos tratava, ensinou-me quais sejam as honras e a veneração que devo prestar-vos.
Vós sois o seguro asilo dos pecadores penitentes e assim tenho razão para recorrer a Vós. Sois Mãe de misericórdia e por este título não podeis deixar de enternecer-Vos à vista das minhas misérias. Sois, depois de Jesus Cristo, toda a minha esperança, e por esta razão não podeis deixar de reconhecer a terna confiança que tenho em Vós. Fazei-me digno de chamar-me Vosso filho para que possa confiadamente dizer-Vos: mostrai que sois minha Mãe! Amém.

Canto: Um Olhar Sereno
Um olhar sereno sobre mim está, uma voz suave a me ensinar, o rumo a seguir, pra onde ir... 
Ó Imaculada, és a mãe de Deus, eu que tão pequeno, peço intercessão, Mãe vem me ajudar, quero mudar! Quando não tenho aonde ir... O próprio Deus me faz lembrar!
Que o lugar do meu refúgio é o teu colo onde eu posso me deitar e ser amado,
com ternura me abraças e me acolhes e mesmo que eu tenha andado longe
Ó Mãe eu volto a ti!

sábado, 6 de dezembro de 2014

Novena da Imaculada

8º dia
Maria da Fraternidade
“Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel” (Lc 1,39)
Jamais se viu caridade tão operosa, capaz de esquecer-se mesmo das próprias necessidades em vista do bem do outro. A caridade é a base de toda vida autenticamente cristã, e com muito maior razão o é da vida fraterna, aqui a caridade, como na atitude de Maria “antepõe as coisas comuns às próprias e não as próprias às comuns” (Rg 31).
O grande santo João Paulo II, com sabedoria, dizia que “toda a fecundidade da vida religiosa depende da qualidade da vida fraterna em comum”, e como pode haver vida fraterna sem amor?
O mundo atual impõe-nos a cultura do individualismo egoísta que busca somente os próprios interesses e recusa toda e qualquer forma de comunhão, grande desafio para a vida religiosa que propõe justamente o contrário!
 Maria sempre servirá de exemplo,  nunca se deve cansar de olhar para ela.
Peçamos a Maria já no fim de sua novena que semeie em nossos corações a caridade fraterna para que o mundo com surpresa e admiração possa olhar-nos e dizer : “Vede como eles se amam”. Sim, que possamos ser reconhecidos pelo amor!

Oração: Santíssima Virgem Maria, movido pelo ardente desejo de amar-vos como Mãe querida e promover uma terna devoção ao Vosso Imaculado Coração, digníssimo de todo amor e veneração e tão transpassado de dor pelas blasfêmias e ingratidões dos homens, humildemente me prostro ao vossos pés e consagro ao vosso coração doloroso e imaculado para sempre: meu corpo, minha alma, minha vida, meu coração e todo o meu ser. Aceitai, Mãe amorosíssima, esta consagração e guardai-me sempre em vosso coração materno. Ó, minha terna Mãe, em vós confio, quero amar-vos sempre mais e servir-vos com toda felicidade. Abençoai-me, protegei-me e preservai-me de todo o mal. Amém

Canto: De alegria vibrei no Senhor
Ref.: De alegria vibrei no Senhor, pois vestiu-me com sua justiça
Adornou-me com jóias bonitas, como esposa do Rei me elevou. 
1- Transborda o meu coração, em belos versos ao rei um poema uma canção, com a língua escreverei. De todos és o mais belo, a graça desabrochou em teu semblante, em teus lábios pra sempre Deus te abençoou.
2- Valente, forte, herói pela verdade a lutar a justiça a defender vitorioso tu serás lutas com arma e poder o inimigo a correr, eterno é teu trono ó Deus é retidão para valer.
3- Ó Rei, amas a justiça, odeias sempre a maldade com o óleo da alegria ungis o Deus da verdade os mais suaves perfumes as tuas vestes exalam no teu palácio luxuoso belos acordes te embalam.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Novena da Imaculada

7º dia
Virgem obediente
“Quem não sabe obedecer não merece ser admitido no serviço daquela cujo título máximo de glória é ter sido sempre a escrava do Senhor” (São Maximiliano).
Ó Mãe, és modelo perfeito de todas as vocações em ti as virtudes formam harmonioso jardim de modo que não há bem e beleza que não se encontre em ti a “escrava do Senhor”.
De fato toda a vida de Maria foi abandono e entrega confiante nas mãos do Pai: “Maria é consciente de sua posição de criatura em face do Criador: embora Ele tenha elevado a tão alta dignidade que ‘depois da de Deus é a maior que possamos imaginar’ (Pio XI), para exprimir suas relações com o Senhor a Virgem nada encontra de melhor que declarar-se ‘escrava’. Esta palavra exprime a atitude interior da Virgem perante Deus, e não se trata de atitude transitória mas permanente, habitual em toda a sua vida [...]” (ID 120).
Cada um de nós Consagrados ou vocacionados um dia optamos pelo Senhor, por colocar toda a nossa vida em suas mãos, hoje olhando para a Virgem obediente podemos nos perguntar: como tem sido nossa atitude interior perante Deus? Ele sabe de que barro somos feitos, sabe que em nós há rachaduras, mas o que temos feitos com nossas rachaduras? Delas também podem surgir vida.
A obediência deve estar fundada nesta atitude interior de fidelidade ao projeto divino, do contrário outras coisas tornar-se-ão  mais atraentes. Mas é só no amor de Deus, que se pode entender o porquê de St. Agostinho dizer: “ama e faze o quiseres”, pois quem ama não vai contra o amado, assim a obediência torna-se, de fato, “a radical liberdade de procurar a vontade do Pai” (Const. 36, 1).
Maria, Mãe e Escrava do Senhor que te criou, rogai por nós que caminhamos” gemendo e chorando neste vale de lágrimas”, teu olhos a nós volvei!

Oração: Cheia de fé na palavra celeste, inteiramente submissa à vontade divina que se vos manifestou, respondeis, ó Maria, com inteiro e absoluto abandono: “eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a vossa palavra”. O vosso “Fiat” é o consentimento ao designo divino da redenção... e é como o eco do “Fiat” da criação. Mas é um mundo novo, mundo infinitamente superior, mundo de graças, que Deus mesmo fará surgir após o vosso consentimento, porque nesse instante o Verbo Divino, segunda Pessoa da SS. Trindade, se encarna em vós: “E o Verbo se fez carne” (Marmion). 

Canto: Maria das vocações.  
Nunca me esqueço, Maria, teu jeito sereno de ser, recordo teu sim generoso, olhar gracioso de mãe e mulher. Bem-aventurada Maria, contigo aprendi a viver, e hoje respondo o meu sim, sem medo eis-me aqui, pra viver só de amor.
Vocação, é sem medo dizer sempre sim, é gritar que o amor não tem fim, sendo fiel à sua missão! Vocação é deixar tudo, tudo e partir,
é tomar sua cruz e seguir, na paz infinita de Cristo Jesus!   
Te vejo bendita Maria, tão pura e tão cheia de luz Rainha da paz, Mãe de Igreja, Amor e beleza do Deus Salvador. Humilde e serena Maria, c contigo aprendi a viver, e hoje encontrei na verdade a felicidade de amar e servir.


quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Novena da Imaculada

6º dia 
Maria pobre entre os pobres de Deus
“Lembre-se que a felicidade é querer o que você tem”.
“A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus” (Papa Francisco). O apelo mais urgente, atual e constante de S.S o Papa tem sido o da edificação de uma “Igreja em saída”. Pelo voto de pobreza libertamo-nos dos bens terrenos mas enchemo-nos dos bens do alto e, sobretudo, do próprio Deus, sendo assim, verdadeiramente ricos. Deste modo encontra-se no voto de pobreza a resposta ao apelo do Papa, e em Maria o sublime exemplo de ser pobre entre os pobres, estes últimos são todos aqueles que não pelo Voto mas pelas condições de vida, falta de oportunidade e exploração do homem pelo homem; são pobres dos bens terrenos e também dos espirituais, falta-lhes a “alegria do Evangelho”!
Maria ao receber a boa nova de sua suprema riqueza corre, pois já nela transbordava, esta alegria do encontro com Jesus, pois “é impossível conhecê-l’O a fundo e não amá-l’O com loucura”, como também é verdade que é impossível conter em si a alegria e riqueza imensa deste encontro.
A verdadeira pobreza é pois aquela que torna a alma rica e é ela que suscita e faz crescer a “Igreja em saída”, apegada somente à riqueza que a faz amar, o motivo e fim último de seu existir: Cristo Jesus!

Oração: Virgem cheia de graça, bem o sei, em Nazaré vivestes pobremente, sem nada pedir. Nem êxtases, nem milagres, nem arrebatamentos, abrilhantaram vossa vida, ó Rainha dos eleitos. São tantos nesta terra, os pobres, os humildes! Podem eles erguer a vós o olhar, sem temor. Sois Mãe incomparável, Mãe que vai com eles pelo caminho comum, para guiá-los ao céu.
Quero viver convosco, amada Mãe, neste duro exílio, e seguir-vos todos os dias. Mergulho-me, arrebatado, em vossa contemplação e descubro os abismos de amor de vosso coração! Todos os meus temores se desvanecem sob vosso olhar materno, que me ensina a sofre e a gozar (St. Terezinha).

Canto: Imaculada
Ref.: Imaculada Maria de Deus, coração pobre acolhendo Jesus. 
Imaculada Maria do povo, Mãe dos aflitos que estão junto á cruz 
Um coração que era sim para A vida. Um coração que era sim Para o irmão. Um coração que Era sim para Deus. Reino de Deus renovando este chão! Ref. 
Olhos abertos para a sede do povo. Passo bem firme que o medo Desterra. Mãos estendidas que os tronos renegam. Reino de Deus que renova esta terra! Ref. 
Faça-se ó Pai, vossa plena Vontade. Que os nossos passos 
Se tornem memória do amor Fiel que Maria gerou. Reino de Deus atuando na historia! Ref.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Novena da Imaculada

5º dia 
Mãe castíssima
 “Elevei-me como a formosa oliveira nos campos e como o plátano junto às águas. Como a videira, lancei rebentos graciosos e as minha flores deram frutos de glória e de riqueza. Eu sou a mãe do amor formoso, do temor, da ciência e da santa esperança. Em mim está toda a graça do caminho e da verdade, em mim está a esperança de vida e de virtude. A memória do meu nome durará por todas as gerações” (Eclo 24, 19. 23-25. 28)
Quem é esta criatura esplendidamente bela que traz em seus braços o Amor Formoso? É Maria! Amada e escolhida por Deus, soube fazer de sua vida dom, modelo de todas as vocações, VIRGEM, ESPOSA E MÃE!
Deus quis nascer de uma Virgem pura: “foste tu santa pureza, que nos deste ao mundo o Redentor! Tu mereceste da mais pura e perfeita criatura a preferência... felizes as almas que neste mundo ornastes!”
A castidade fez de Maria a oliveira formosa dos campos, com muitos ramos que a fazem frondosa e bela, seu fruto doa a todos nós, o mais puro azeite do Espírito! A verdadeira castidade é aquela que jamais atrai para si os olhares. “Andando ou paradas, em todas as atitudes, nada haja em vós que cause admiração a quem quer que seja, mas tudo esteja em harmonia com a vossa condição de consagradas” (Rg 21). A castidade, porém atrai os olhares de Deus, sim, feliz a alma que por ela é ornada, terá a alegria de acompanhar o Cordeiro Divino e cantar os cântico novo (Ap 14,4).
Tal virtude é luta diária e “torna mártires aquelas virgens que a praticam...” (DCE 28), mas também faz da morte união plena e o último suspiro desejado por ser ele o momento do encontro com o Amado Esposo.
“Virgem e Mãe Maria, vós que, movida pelo Espírito, acolhestes o Verbo da vida na profundidade da vossa fé humildade, totalmente entregue ao Eterno, ajudai-nos a dizer o nosso “sim” perante a urgência, mais imperiosa do que nunca, de fazer ressoar a boa nova de Jesus” (Papa Francisco).

Oração: Que o meu coração seja um pouco como o teu: cheio de amor a Jesus e aos homens. Que o meu coração seja compassivo, doce e forte, sem limites, como o teu, para todos e a tudo acolher. Que o meu coração seja puro, santo e justo como o teu para não ser conivente com o mal. Maria, que o teu coração seja meu refúgio durante a vida e na hora da minha morte. Doce coração de Maria seja minha salvação!

Canto: Que é esta que avança
Quem é essa que avança como aurora. Temível como exercito em ordem de batalha. Brilhante como o sol e como a lua. Mostrando o caminho aos filhos teus.
 Ah, ah, ah, minha alma glorifica o Senhor, meu espírito exulta em Deus meu Salvador

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Em Oliveira: Abertura do ano da Vida Consagrada

No dia 29 de novembro de 2014, com grande alegria, os consagrados da Diocese de Oliveira se reuniram na Igreja Matriz para celebrar a abertura oficial do Ano da Vida Consagrada proclamado por Sua Santidade o Papa Francisco.
Celebramos em comunhão com a Igreja no mundo inteiro, a abertura do Ano da Vida Consagrada. O Papa Francisco convocou este ano com o objetivo de animar e refletir sobre a Vida Consagrada na Igreja hoje. Alguns consagrados entraram uma lamparina nas mãos , sinal da consagração a Deus. Ao fim da celebração o convite de na alegria da consagração, continuar dando o testemunho!
Cada congregação, ordem ou Instituto é fundado pela ação do Espírito de Deus como um Dom para a Igreja e para o mundo. Nossa diocese é ricamente agraciada com a presença de 5 congregações religiosas femininas, duas ordens religiosas masculinas, dois Institutos seculares e um grupo de Ordem Terceira Carmelita, além do gérmen de algumas comunidades de vida. Cada um destes grupos é chamado a viver um carisma específico, como uma luz que brilhando não chama atenção para si, mas ilumina o ambiente. Iniciando este ano da Vida Consagrada queremos renovar nosso testemunho como consagrados e consagradas que vivem nesta diocese. 
Simbolicamente Dom Miguel entregou a cada congregação a lamparina apresentada no início da celebração como sinal desta consagração a Deus como convite a continuar o testemunho de vida dos diversos carismas.

Congregaçãodas Oblatas do Menino Jesus (Oliveira). Na alegria de vossa consagração, continuema viver e serem nutrizes do Menino Jesus, reconhecendo o semblante do Divino Infante em todas as pessoas.

Queridos consagrados e consagradas, que este ano dedicado à Vida Consagrada, seja um tempo oportuno para que renoveis vossa adesão a Cristo. Deem um firme o alegre testemunho da vossa vocação e do Carisma de vossas famílias religiosas. Que nossa Diocese possa mostrar nosso apresso pela vida religiosa, como dom precioso para a Igreja. 













Novena da Imaculada

4º dia
Maria modelo da alma consagrada
“Reze por mim, querida Mãe, para que o meu amor cresça cada vez mais depressa e não conheça limite. Reze, especialmente, pra que não conheça limite” (São Maximiliano).
Toda alma verdadeiramente consagrada sabe, quão suave é o Senhor e, por isso, deseja de todo coração amá-l’O sempre mais. Maria Imaculada foi consagrada (SEPARADA) ao Senhor desde o primeiro instante de sua existência, por isso é chamada de Estrela da Manhã pois o alvorecer de sua vida anuncia o nascimento do Sol eterno, sendo ela consagrada é também modelo; Maria foi preservada do pecado, mas isso não significa que não tenha procurado durante toda a vida crescer em amor e graça, dela se diz em algumas ocasiões que “guardava as palavras e os fatos em seu coração e neles pensava” . “Grande conforto é encontrar ao longo do caminho espiritual, -muitas vezes penoso e cheio de dificuldades- a suave figura da Mãe. Junto dela tudo se torna mais fácil!”
O desejo e a realização de uma consagração acontecem precisamente na intimidade com o Amado, aquele que ama, assemelha-se ao ser amado; assim não existe consagração sem espírito de oração, sem que os consagrados “dêem testemunho da primazia de Deus em suas vidas, dedicando todos os dias um tempo suficientemente prolongado para estar na presença do Senhor, para confessar-lhe seu amor e, sobretudo, para deixar-se amar por Ele” (São João Paulo II).
Podemos assim olhar para a vida da nossa “Mestra de oração que ensinou-nos a descobrir Deus –tão perto das nossas vidas- no silêncio e na paz do nossos corações, pois só quem ponder com espírito cristão as coisas no seu coração pode descobrir a imensa riqueza do mundo interior, do mundo da graça, desse tesouro escondido que está dentro de nós” (FCD V, 14). Rezemos por todos os consagrados, especialmente neste anos que o Papa convida-nos a refletir sobre esta forma de vida, para que sejam autênticos no comunicar a alegria de terem sido escolhidos, chamados e consagrados por Amr e ao Amor!
“Santa Virgem Maria, não há nenhuma mulher no mundo semelhante a ti, filha e serva do Rei Altíssimo, Pai Celeste. Mãe Santíssima do nosso Salvador, Esposa do Espírito Santo, pede por mia a este teu Filho Jesus, meu Senhor amadíssimo e meu Mestre, para que me queira bem e me ame com amor dulcíssimo e inenarrável” (Nutriz 12).

Oração: Virgem e Mãe Maria, vós que, movida pelo Espírito, acolhestes o Verbo da vida na profundidade da vossa fé humilde, totalmente entregue ao Eterno, ajudai-nos a dizer o nosso «sim»perante a urgência, mais imperiosa do que nunca,de fazer ressoar a Boa-Nova de Jesus.Vós, cheia da presença de Cristo, levastes a alegria a João o Batista, fazendo-o exultar no seio de sua mãe.Vós, estremecendo de alegria, cantastes as maravilhas do Senhor.Vós, que permanecestes firme diante da Cruz com uma fé inabalável e recebestes a jubilosa consolação da ressurreição, reunistes os discípulos à espera do Espírito para que nascesse a Igreja evangelizadora. Alcançai-nos agora um novo ardor de ressuscitados para levar a todos o Evangelho da vida que vence a morte. Dai-nos a santa audácia de buscar novos caminhos para que chegue a todos o dom da beleza que não se apaga.Vós, Virgem da escuta e da contemplação, Mãe do amor, Esposa das núpcias eternas, intercedei pela Igreja, da qual sois o ícone puríssimo, para que ela nunca se feche nem se detenha na sua paixão por instaurar o Reino. Estrela da nova evangelização, ajudai-nos a refulgir com o testemunho da comunhão, do serviço, da fé ardente e generosa, da justiça e do amor aos pobres, para que a alegria do Evangelho chegue até aos confins da terra e nenhuma periferia fique privada da sua luz. Mãe do Evangelho vivo, manancial de alegria para os pequeninos, rogai por nós. Amém. Aleluia! 

Canto: Companheira Maria 
Companheira Maria perfeita harmonia entre nós e o Pai, modelo dos consagrados, nosso sim ao chamado, do Senhor confirmai.
Ave, Maria, cheia de graça. Plena de graça e beleza, queres com certeza que a vida renasça.
Santa Maria, Mãe do Senhor, que se fez pão para todos, criou mundo novo só por amor.
Intercessora Maria perfeita harmonia, entre nós e o Pai, justiça dos explorados, combate o perdão, torna os homens iguais.
Transformadora Maria, perfeita harmonia, entre nós e o Pai, espelho de competência, afasta a violência enche o mundo de paz.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Novena da Imaculada

3º dia
Mãe de Jesus, nossa Mãe
“Ao estar em Deus e com Deus, Maria está perto de cada um de nós, conhece nosso coração, pode escutar nossas orações, pode ajudar-nos com sua bondade materna” (S.S Bento XVI).
O Concílio Vaticano II declara que Maria é nossa Mãe na ordem da graça. Ao aceitar Ser Mãe de Jesus, Maria assume também a obra de seu Filho. Assim, podemos chamar “ó bem aventurada Virgem Maria, sois a Mãe da graça, a esperança do mundo, atendei vossos filhos que clamam por vós” (Breviário Romano).
Maria é pois, o canal da graça que Cristo nos deu: “eis ai teu filho... eis ai tua Mãe” (Jo 19,25-27). Por ela nos veio Cristo e por ela vamos a Ele.
Não poucos santos consagraram sua vida a Maria para, por meio da Mãe, chegar ao Filho, diz-se de São Maximiliano que “aos dez anos seu coração já estava comprometido para sempre, ela estava lá e lhe bastava, ela era sua confidente, a sua Rainha e sua Senhora.” Nossos Fundadores nutriram para com esta bondosa Mãe, terno amor, o Pe. Cósimo era seu servo por vida e vocação e a Madre Ana, tendo ficado órfã, adotou a Santíssima Virgem por sua Mãe e de fato consagrou-lhe toda a sua vida em profundo amor, aprendendo dela a ser nutriz do Menino Jesus.
Alguns poderiam perguntar-se porque nutrir tamanho amor a Maria se nossa única meta deve ser Jesus? São Luís de Montfort responde: “confesso com toda a Igreja que Maria é uma pura criatura saída das mãos do Altíssimo. Comparada à Majestade infinita ela é menos que um átomo [...], mas Deus quis começar e acabar suas maiores obras por meio da Santíssima Virgem”. Maria é meio, é o caminho que nos conduz a Jesus, e quem caminha com ela caminha seguro, porque ela fez do querer de Deus o seu!
“Ó Maria Imaculada, que tu sejas mil vezes bem-vinda! Oh! Se eu tivesse tanta riqueza para te acolher como merece a tua grandeza! Perdoa a minha pobreza, ó verdadeira Mãe de Deus” (Nutriz 13)

Oração: Virgem e Mãe Maria, Vós que, movida pelo Espírito, acolhestes o Verbo da vida na profundidade da vossa fé humilde,totalmente entregue ao Eterno,ajudai-nos a dizer o nosso «sim» perante a urgência, mais imperiosa do que nunca,de fazer ressoar a Boa Nova de Jesus.Vós, cheia da presença de Cristo,levastes a alegria a João o Baptista,fazendo-o exultar no seio de sua mãe.Vós, estremecendo de alegria,cantastes as maravilhas do Senhor.Vós, que permanecestes firme diante da Cruz com uma fé inabalável,e recebestes a jubilosa consolação da ressurreição,reunistes os discípulos à espera do Espírito para que nascesse a Igreja evangelizadora.Alcançai-nos agora um novo ardor de ressuscitados para levar a todos o Evangelho da vida que vence a morte.Dai-nos a santa ousadia de buscar novos caminhos para que chegue a todos o dom da beleza que não se apaga.Vós, Virgem da escuta e da contemplação,Mãe do amor, esposa das núpcias eternas intercedei pela Igreja, da qual sois o ícone puríssimo,para que ela nunca se feche nem se detenha na sua paixão por instaurar o Reino.Estrela da nova evangelização,ajudai-nos a refulgir com o testemunho da comunhão,do serviço, da fé ardente e generosa,da justiça e do amor aos pobres,para que a alegria do Evangelho chegue até aos confins da terra e nenhuma periferia fique privada da sua luz.Mãe do Evangelho vivente,manancial de alegria para os pequeninos,rogai por nós.Amém. Aleluia!

Canto: Ensina teu povo a rezar 
Ensina teu povo a rezar, Maria, Mãe de Jesus, que um dia teu povo desperta e na certa vai ver a luz, que um dia teu povo se anima e caminha com teu Jesus.
Ref.: Maria de Jesus Cristo, Maria de Deus, Maria mulher, ensina teu povo o teu jeito de ser o que Deus quiser, ensina teu povo o teu jeito de ser o que Deus quiser.
Maria Senhora nossa, Maria do povo, povo de Deus, ensina teu jeito perfeito de sempre escutar teu Deus, ensina teu jeito perfeito de sempre escutar teu Deus.