segunda-feira, 28 de julho de 2014

Eles também foram chamados!

Noé
Noé era um homem justo e perfeito no meio dos homens de sua geração. Ele andava com Deus [...] Noé fez tudo o que o senhor lhe tinha ordenado [...] Deus abençoou Noé e seus filhos.
A História da salvação é a narrativa da peregrinação de um povo, o Povo de Deus, e eles não caminhavam sozinhos, Deus caminhava com eles, de aliança em aliança até o envio do Prometido do Pai.
Noé ainda não faz parte do Povo eleito, mas é de sua descendência que ele sairá, ele é o instrumento que Deus usa para renovar a criação corrompida pelo pecado.
Noé "andava na presença de Deus" eis aqui, uma autêntica definição de santidade, a vocação universal da humanidade, andar na presença de Deus. Quem caminha na presença do Senhor, ainda que seja fraco e venha a cair, caminha seguro e recebe a sua benção.
A que Noé foi chamado? A renunciar! Renunciar a própria vida para que outros pudessem viver. Vale lembrar que Deus pede tudo pelo TUDO, Ele mesmo se dá em recompensa, por isso, dirá Jesus que quem já recebeu aqui a sua repensa não merece o Reino, porque preferiu um "tudo" finito. O que hoje para você é TUDO? Você seria capaz de deixar tudo?
Eu vos garanto o Senhor é abundante no dar-se, nós é que não conseguimos contê-l'O, mas Ele se dá!

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Eles também foram chamados

Caim e Abel
Ofereceu Caim frutos da terra em oblação ao Senhor. Abel de seu lado, ofereceu dos primogênitos de seu rebanho; e o Senhor olhou com agrado para Abel e para sua oblação. Caim ficou extremamente irritado com isso [...] Caim disse então a Abel, seu irmão: "vamos ao campo". Caim atirou-se sobre seu irmão e matou-o. O senhor disse a Caim: "Onde está o teu irmão Abel? (Gn 4)
Logo após a narrativa da criação e do pecado, segue-se a história de Caim e Abel, filhos de Adão e Eva, que muito nos tem a ensinar.
Deus não é um Senhor de meios termos, quando pede algo, o quer por completo, justamente aqui encaixa-se o porquê de não ter agradado-lhe a oferenda de Caim, ele guardou para si o melhor e ofereceu a Deus o que sobrou, ao passo que Abel oferece as "primícias". Se olharmos para Caim e Abel em uma única pessoa, encontramos a realidade que habita cada pessoa; que deseja amar a Deus, mas que, por vezes, é impedida de dar-lhe o melhor, pelo próprio egoísmo e desejo de grandeza, então vem a infelicidade, a inveja e as desavenças que levam a ferir uns aos outros por palavras, atos e omissões.
Abel é a figura daquele que assume corajosamente a vontade Deus. Dá-lhe tudo, até a vida. Assumir uma vocação, não é somente dar a Deus o melhor, mas também escolher o melhor, Abel oferecendo ao Senhor, as "primícias de seu rebanho" atrai para si o bons olhos de Deus que o faz feliz.
Então dizer sim ao chamado de Deus é escolher a melhor parte, que não é igual para todos. Para uns a melhor parte será constituir uma família e seu melhor será a fidelidade esponsal que constrói famílias santas; para outros será o sacerdócio, oferecendo a Deus o sumo e eterno sacrifício do Corpo e Sangue de Jesus, e da própria vida em favor dos irmãos; para outros ainda, a melhor parte será  vida religiosa ou consagrada, sendo na terra sinal do Céu onde "nem eles se casam, nem elas se dão em casamento", por meio da pobreza, castidade e obediência.
Em qualquer que for, porém a vocação de cada pessoa, Deus é sempre fiel e misericordioso, estará sempre pronto a nos ver voltar, quando Dele nos afastarmos.
Amados não tenham medo de agarrar a melhor parte que o Senhor vos apresenta!


segunda-feira, 14 de julho de 2014

Eles também foram chamados!

Iniciaremos uma caminhada, ao longo dela encontraremos algumas figuras bíblicas, conhecidas ou não, voltaremos nosso olhar para o fato de que ELES TAMBÉM FORAM CHAMADOS!
"No princípio Deus criou os céus e a terra [...] Então Deus disse: "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança [...] Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou... contemplou a sua obra e viu que tudo era muito bom." (Gn 1)
A narrativa da criação em Gênesis 1 é o início de um longa história, marcada pelo amor misericordioso, pela fidelidade de Deus, autor e consumador de toda vocação, e pela peregrinação do homem entre fidelidades e infidelidades na luta contra o pecado.
Deus cria o homem do pó da terra e o chama a participar de seu amor criador cuidando de sua obra, sabemos bem o que vem depois, Adão e Eva são atraídos pelo pecado, à primeira vista, bom e atraente: "vendo que o fruto da árvore era bom para comer; de agradável aspecto..." (Gn 3,6), bem com todo pecado.
Cada ser humano pode, certamente, ver em si estas duas forças, por um lado o amor a Deus, ao Criador, com uma atitude inscrita no coração, de gratidão, de reverência ao supremo Amor; e por outro lado esta força que nos afasta Dele em uma atitude semelhante à dos nossos primeiros pais de autossuficiência do querer "ser como Deus". O bom é que diante destas duas realidades cada um é livre e quando abandonado nas mãos de Deus, ainda que venha a cair, seu amor o sustenta e no perdão o levanta. Eis a vocação de todos, a SANTIDADE. Santos são aqueles que sabendo-se pecadores se reconhecem necessitados de Deus e nestas almas o amor frutifica. Que o Senhor possa olhar para a alma humana e ver a beleza de sua criação!

terça-feira, 8 de julho de 2014

Santa Maria Goretti

Mártir da pureza
Vítima de brutal violência, Maria Goretti, com apenas doze anos, foi assassinada a punhaladas. Órfã de pai aos dez anos, cuidava dos quatro irmãozinhos e de outras crianças, enquanto a mãe ia para o trabalho na lavoura. Toda entregue ao trabalho e à piedade, crescia em ambiente pobre e difícil. Tentada muitas vezes por um rapaz, nessa terrível prova rejeitou toda aceitação do pecado e morreu mártir da pureza, perdoando e oferecendo a vida por seu assassino. Este, convertido, deu testemunho da heroica virtude da menina. A mãe, aos 84 anos, pôde participar com quatro filhos da canonização da filha, oficiada por Pio XII, em 1950 (Missal Cotidiano- 6 de julho).
Admirável virtude é a pureza, torna a pessoa bela, verdadeira, e feliz. Vemos esta virtude sendo atacada pelo mundo, não é fácil falar de pureza, não é fácil vivê-la, em um mundo que prega a libertinagem como liberdade, que incita à entrega constante aos prazeres de forma inconsequente, como se o verdadeiramente importante fosse as alegrias momentâneas, quanta tolice, quanta enganação!
Será que a nossa virgem Goretti, morta aos 12 anos por negar entregar-se ao pecado não tem algo a nos ensinar?! Lembro-me das sábias palavras de São Domingos Sávio: "Antes morrer do que pecar", quem dera se todos vivessem assim, preferindo a morte ao pecado, renunciando aos prazeres momentâneos por uma felicidade que não passa, o Céu à terra. 
Peçamos a Maria Goretti que possamos deixar-nos seduzir pelo Senhor como ela, e que saibamos renunciar ao mundo e suas seduções, como prometemos no Batismo e na Crisma, que tenhamos os olhos fixos n'Ele, em seu amor e em sua felicidade que não passam, que nos conduzem à verdadeira Vida, e à nossa verdeira Pátria, porque, de fato, somos todos estrangeiros aqui. 
Toda vocação é vocação à santidade e Maria Goretti preferiu "morrer" vivendo sua vocação à santidade do que viver um pouco mais sendo dominada pelo pecado. Jovens, convido-vos à ousadia da santidade, ousadia que sabe dizer não a tudo aquilo que nos afasta do Amor, e sim a uma vida autenticamente cristã, a uma vida verdadeiramente feliz! Estou certa de que não se arrependerão.